Prémio Nobel da Literatura 2017

Prémio Nobel da Literatura 2017

Kazuo Ishiguro

autor, entre outros, de Os despojos do dia e Nunca me deixes


domingo, 7 de fevereiro de 2010

Invictus

Poema original de William Ernest Henley, que dá nome ao último filme de Clint Eastwood, Invictus é um texto lindíssimo que, segundo se diz no filme, foi um dos suportes de Mandela durante os seus quase trinta anos de encarceramento para se manter sempre forte e de convicto dos seus objectivos e crenças. Disponibolizo aqui a versão original e a versão portuguesa que me parece ser a que aparece traduzida no filme.

Out of the night that covers me,
Black as the Pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds and shall find me unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.

_______________________________


Do fundo da noite que me envolve
Escura como o inferno de ponta a ponta
Agradeço a qualquer Deus que seja
Pela minha alma inconquistável


Nas garras dos destino
Eu não vacilei nem chorei

Sob as pancadas do acaso
Minha cabeça está sangrenta, mas erecta


Além deste lugar tenebroso
Só se percebe o horror das trevas
E ainda assim, o tempo,
Encontra, e há de encontrar-me, destemido

Não importa quão estreito o portão
Nem quão pesado os ensinamentos
Eu sou o mestre do meu destino
Eu sou o comandante da minha alma


Sem comentários:

Enviar um comentário