domingo, 28 de março de 2010

"Amor à primeira vista", Domingos Amaral (Casa das Letras)

    Várias vezes folheei com curiosidade o livro "Enquanto Salazar dormia" mas, por várias razões, terminei por nunca o comprar, nem ler. Foi por isso que quando este livro do mesmo autor me veio para às mãos decidi lê-lo, apesar do título e da capa me parecerem pouco interessantes. O livro gira à volta de uma investigação jornalística,com todos os ingredientes para o tornarem actual, grandes obras públicas, subornos, corrupção, financiamentos partidários ilegais, e, ao mesmo tempo, a vida amorosa do jornalista, dividida entre uma relação assumida e uma outra clandestina.
    As duas histórias terminam por cruzar-se, mas fica tudo por resolver, assumindo o destino fatalista da nossa situação actual em que se levantam suspeitas sobre actos de corrupção que nunca são esclarecidos. Não será por acaso que se fala em pântano: "E ficamos neste pântano, neste perigoso pântano, e toda a gente vai vivendo a sua vidinha, a protestar no café".
     A história é demasiado óbvia e os diálogos pobres. A nota de humor prende-se com o final da história quando, quase como se de um PS se tratasse, ficamos a saber que os quadros - objecto da corrupção - eram afinal cópias.

Sem comentários:

Enviar um comentário