Prémio Nobel da Literatura 2017

Prémio Nobel da Literatura 2017

Kazuo Ishiguro

autor, entre outros, de Os despojos do dia e Nunca me deixes


domingo, 8 de maio de 2011

Abandonar um livro a meio

Podemos abandonar um livro a meio? Trata-se de um direito, como enuncia a lista dos direitos inalianáveis dos leitores? Então porque custa tanto exercê-lo?
Pego no livro, leio umas páginas, interrompo a leitura, retomo sem me lembrar do que li e sem vontade de o fazer. Demoro a passar de parágrafo e interrompo a leitura sob qualquer pretexto.
O que nos faz gostar de um livro? Há pouco tempo vi um filme em que a protagonista começava por ler as últimas páginas e só se decidia a ler se tivesse gostado do final.
Mas conhecer o final é comprometer parte do prazer da leitura.
Não gostar de um livro de um autor de que habitualmente se gosta,não gostar de um livro recomendado, premiado e com críticas positivas é bastante mais complicado.
É o caso do livro que me tem acompanhado nestes últimos dias (ou serão já semanas?). A minha irmã, que mo ofereceu, disse que se tinha lembrado imediatamente de mim quando ouviu falar do livro. Está muito bem escrito e foi premiado, mas não me prende e não me apetece lê-lo. A culpa é minha seguramente pelo que não vou nomeá-lo. Ficará entre mim e ele e direi apenas o que dizemos quando queremos acabar uma relação sem magoar a outra pessoa: "Não és tu, sou eu!"

1 comentário:

  1. Passaram-me alguns desses argumentos pela cabeça; mas acabou por ficar diferente. Está demasiado grande para o pôr em comentário, por isso vou escrever mesmo em texto.

    ResponderEliminar