segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Mrs. Craddock, Somerset Maugham (Livros do Brasil)

    Passo com frequência numa pequena livraria (alfarrabista?) na Calçada do Combro. Sentado, perto da porta, está um velhote. Presumo que seja o dono. Percebe-se logo que gosta e conhece os livros. É o meu santo das causas perdidas: sempre que procuro um livro e não consigo encontrar, passo por lá. Embora, em regra, não o tenha, dá-me pistas onde procurar.
    Na última vez que passei por lá, tinha uma pilha de livros de Somerset Maugham na mesinha ao pé da qual estava sentado. Não resisti e comecei a folheá-los. Perguntou-me logo se já tinha lido algum livro dele.
    Fez-me olhar para os discretos desenhos que ilustram a capa (e a sobrecapa) dos livros desta coleção (e daquela época, embora não encontre qualquer referência ao ano desta edição).
    Não resisti à Mrs. Craddock e ainda bem. Começa com um prefácio do próprio autor em que explica que o livro foi escrito no final do século XIX. Foi considerado muito ousado e depois de ter sido sucessivamente recusada a sua publicação, terminou por ser editado com vários cortes. Em 1937 foi editado na totalidade e revisto pelo autor.
    Mrs. Craddock é um livro sobre mulheres, o amor e o casamento. Ao mesmo tempo, o autor deixa-nos perceber a visão que tem da política e dos políticos, da vida no campo e na cidade, fornecendo-nos um mosaico preciso da época.
    As instituições e as relações entre as pessoas evoluem e alteram-se mas muito permanece. A paixão e posterior desilusão de Mrs. Craddock são muito actuais.

    Não posso deixar de referir que a capa é de Infante do Carmo.

Sem comentários:

Enviar um comentário