domingo, 16 de setembro de 2012

O Circo dos Sonhos, Erin Morgenstern (Civilização)

    Mais uma vez o livro chamou-me a atenção pelo título e pela capa. Presumi que fosse algum tipo de romance assim mais negro. E fiquei interessada.
    Tenho de admitir que comecei por fica um pouco desiludida quando percebi que tinha o seu misticismo, pois estava à espera de um romance mais para o real.
    De qualquer modo, rapidamente fiquei presa. É, sem dúvida, uma história original e está muito bem escrita. Além disso tem uma estética e uma organização diferentes, que também gostei muito.
    No início do romance, dois homens (cuja relação não se entende) estabelecem um acordo para começarem um desafio entre duas crianças, cada uma treinada por um deles. Celia é filha de Prospero, um ilusionista (que, na verdade, tem mesmo alguns poderes) de renome, que nasceu já com certas aptidões. Marco é escolhido num orfanato pelo "homem de fato cinzento" e treinado de um modo totalmente distinto, mais académico.
    Durante toda a sua juventude são treinado pelos seus mentores para se prepararem para este desafio do qual desconhecem as regras ou termos de conclusão.
    Marco torna-se secretário de Chandresh que, juntamente com outros elementos de diversas competências, decidem constituir um circo totalmente inovador:
    Mais do que um parque de diversões [...]. Mais do que um circo, na verdade, um circo nunca antes visto. Não uma grande tenda isolada, mas uma multiplicidade delas, cada uma com um espetáculo próprio. Sem elefantes nem palhaços. Não, algo mais refinado do que isso. Nada de lugares comuns. Isto será diferente, será uma experiência absolutamente única, uma orgia para os sentidos. Teatral sem teatro, um espetáculo arrebatador. Vamos destruir as ideias feitas ou as noções preconcebidas sobre o que é um circo e transformá-lo por completo em outra coisa, em algo de novo [...].
    O circo abre as portas com o desaparecer do sol e fecha-as ao amanhecer. Faz tanto sucesso que chega a formar-se uma comunidade de seguidores (os rêveurs) que seguem o circo por todo o mundo.
    Mais do que isso, o circo é o palco da competição entre Celia e Marco - ela como parte integrante do Circo, sendo a Ilusionista, ele controlando-o à distância.
    Os dois apaixonam-se e têm de descobrir uma forma de terminarem o desafio sem consequências para si e para os demais elementos do circo.
    É um livro bonito para quem gosta do estilo, mas podia desenvolver mais alguns detalhes.

Sem comentários:

Enviar um comentário