sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Viver na noite, Dennis Lehane (Sextante Top)

   Não sei o que me levou a escolher este livro para leitura primeira das férias. Talvez a atração tenha resultado das saudades que sentia da leitura de policiais, talvez de saber que se trata do mesmo autor de Shutter Island e Mystic River - dois livros que não li, penso que aliás não foram editados em Portugal, mas que deram origem a dois excelentes filmes.
   Temporalmente, passa-se entre a grande depressão e o início da segunda guerra e a ação decorre sobretudo na Florida e em Cuba.
   O ambiente é o da noite (A noite - disse Joe. - Sabe demasiado bem. Se vivermos de dia, temos de obedecer às regras deles. Portanto, vivemos da noite e fazemos as nossas regras.), da lei seca, do Ku Klux Khan, da máfia e dos gangster, mas também da família e do amor. E sobretudo da quase normalidade do dia a dia quando tudo isto é quotidiano. A traição constante convive com a  lealdade de alguns, deixando uma incógnita constante entre as pessoas.
   O protagonista principal, filho de polícia respeitado, embora corrupto, sobrevive de acordo com uma ética segundo a qual o dinheiro sujo pode ajudar a melhorar a vida das pessoas e da sociedade em geral. Isto é tanto verdade para a política já então desenvolvida pelos EUA relativamente a Cuba, como para as actividades de benemerência desenvolvidas pela mulher que ama.
   Muito bem escrito, chegando por vezes a ser poético:
   Dissera recentemente ao seu filho que a vida era sorte. Mas a vida, compreendera ele à medida que envelhecia, era também memória. A lembrança dos momentos revelava-se muitas vezes mais rica do que a vivência desses próprios momentos.

    De acordo com a editora, o filme baseado neste livro, Viver na noite, está a ser rodado, e conta com Ben Affleck como realizador e protagonista.

Sem comentários:

Enviar um comentário