LEIO LOGO...

.
.
.
LEIO, LOGO...

A nova rubrica quinzenal da nossa página afiliada, Ponto&Vírgula, começou com o testemunho na nossa co-autora Ana Vargas.

Acompanhe a partir daqui os textos publicados:

#1 Leio, logo... crio laços, por Ana Vargas (24/04/2018)
#2 Leio, logo... empilho, por Sofia Guedes Vaz (08/05/2018)
#3 Leio, logo… sonho,
por Alexandre Gusmão (22/05/2018)

***

Queremos que participe nesta rubrica! O que é, para si, ler? Qual é a sua visão do mundo literário, do lado do leitor? Entre em contacto connosco, por mensagem privada na página Ponto&Vírgula e partilhe a sua opinião.



sexta-feira, 25 de abril de 2014

Corações em Silêncio, Nicholas Sparks (Editorial Presença)



    Uma leitura fácil, sem dúvida, e há momentos em que também é necessário. No seu todo, no entanto, é uma história simples e sem grandes surpresas, aliás, depois de ler uns três livros de Nicholas Sparks, já quase adivinho metade da trama. E este livro teve muitos aspetos previsíveis. Mais uma vez, uma história de amor; mais uma vez, uma morte que custa - mesmo já se prevendo; essa morte não é por nenhuma doença horrenda, mas também existe um problema de saúde envolvido. No fundo, os três ingredientes de todos os livros de Nicolas Sparks - amor, doença, morte.

    Desta vez é Denise Holton, mãe solteira de um menino de quatro anos com um atraso significativo na linguagem, sem que se consiga descobrir a causa. Denise perdeu toda a restante família e volta para a terra da mãe com o filho. No início do livro, numa noite de tempestade, tem um acidente de carro e quando acorda o filho não se encontra no carro. É salva por um bombeiro que se encarrega também das buscas do filho dela, acabando por conseguir descobri-lo. Taylor - o bombeiro - e Kyle - o filho - criam uma ligação forte que sensibiliza muito Denise. Ela e Taylor apaixonam-se, mas ele tem um grande trauma de infância e não consegue manter relações.



**** SPOILER ****

(E viveram felizes para sempre)

Sem comentários:

Enviar um comentário