Prémio Nobel da Literatura 2017

Prémio Nobel da Literatura 2017

Kazuo Ishiguro

autor, entre outros, de Os despojos do dia e Nunca me deixes


sábado, 26 de junho de 2010

"O amor não espera à porta" Marisa de los Santos (Oficina do Livro)

Há várias razões para comprarmos um livro: leitura de críticas, indicação de quem já o leu, a capa, o resumo que muitas vezes podemos ler na contracapa... Foi uma mistura de algumas destas razões que me levaram a impulsivamente comprar este livro e lê-lo: A capa é bonita e o resumo da história interessante. também contribuiu a indicação de que a autora acompanhava a história de excertos de filmes clássicos que nos sentiríamos tentadas a ver.
Mas o livro é decepcionante. É um livro filme, isto é, provavelmente, em breve dará origem a um filme que adoraremos ver numa tarde de Inverno.
Aprendi uma coisa que já sabia: não devemos levar a sério as críticas elogiosas publicadas em jornais. Aprendi isto quando fui à inauguração de uma exposição colectiva em que participava uma amiga e que acompanhava a nota biográfica de uma crítica publicada num jornal espanhol. Perante a minha surpresa pela sua internacionalização, o riso dela desvendou o segredo. Não havia crítico nem crítica...mas ninguém mais saberia.
A leitura deste romance também me fez interrogar sobre o que é um bom livro. É um livro que nos arrebata? É um livro cuja história e escrita nos encanta? É um livro que permanece na nossa memória? Que não nos apetece parar de ler? É um livro cujas personagens nos acompanham?
Não sei definir um bom livro e por isso um bom livro é um livro que gosto de ler, de que tento reter as personagens e roubar frases. Nada disto aconteceu neste caso, mas penso que gostarei de ver o filme. Numa tarde de Inverno.

Sem comentários:

Enviar um comentário