sábado, 4 de setembro de 2010

Lolita, Vladimir Nabokov (Teorema)

    Lolita é um livro onde se narra a paixão - se é correcto que lhe apliquemos esse termo - de Humbert, homem nos seus quarenta anos, por Lolita, uma criança de 12 anos. A história é conhecida, o termo Lolita, como designativo de crianças com precoces atitudes sexuais e de sedução, também.

    A narrativa é deslumbrante e, sobretudo na primeira parte, em que o enredo se desenvolve mais rapidamente, é difícil pousar o livro. Se, por vezes, consideramos que há um interesse mútuo entre as duas personagens, depressa surge uma nova evidência do sofrimento da criança. No entanto, não é um livro que tenha referências dolorosas para o leitor, ou de carácter subversivo, sexual ou violento, pelo que conseguimos lê-lo com discernimento e sem asco, chegando mesmo a saborear as palavras que, como já mencionei, se dispõem maravilhosamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário