LEIO LOGO...

.
.
.
LEIO, LOGO...

A nova rubrica quinzenal da nossa página afiliada, Ponto&Vírgula, começou com o testemunho na nossa co-autora Ana Vargas.

Acompanhe a partir daqui os textos publicados:

#1 Leio, logo... crio laços, por Ana Vargas (24/04/2018)
#2 Leio, logo... empilho, por Sofia Guedes Vaz (08/05/2018)
#3 Leio, logo… sonho,
por Alexandre Gusmão (22/05/2018)

***

Queremos que participe nesta rubrica! O que é, para si, ler? Qual é a sua visão do mundo literário, do lado do leitor? Entre em contacto connosco, por mensagem privada na página Ponto&Vírgula e partilhe a sua opinião.



domingo, 25 de novembro de 2012

Afonso Cruz


   O Almada Negreiros tinha razão. Nem preciso de entrar numa livraria, nem de contar os livros que há para ler e os anos que terei de vida: Não chegam, não duro nem para metade da livraria. 

   Primeiro foram as listas dos 25 livros de autores portugueses da revista Ler (de outubro?) e eu a pensar que tenho/quero lê-los. Depois foi o jovem João Tordo e o menos jovem, Rentes de Carvalho, que me foram apresentados por vários leitores anónimos nos comboios da linha.  E na sexta-feira, soube pelo Bruno Pinheiro que um escritor português - Afonso Cruz - tinha ganho o prémio da União Europeia. Também não o conhecia, mas ele lê um texto e gostei muito.
   Aqui vai o link para o filme que o Bruno colocou no You Tube. Vejam, oiçam e depois leiam. Eu vou fazê-lo:
    Video

Sem comentários:

Enviar um comentário