Prémio Nobel da Literatura 2017

Prémio Nobel da Literatura 2017

Kazuo Ishiguro

autor, entre outros, de Os despojos do dia e Nunca me deixes


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

O tempo entre costuras, Maria Dueñas (Porto Editora)

   Mais um livro recomendado e emprestado pela Nélia. É um livro arrebatador que não apetece parar de ler. Houve momentos em que desejei que a minha viagem diária, no comboio, se arrastasse ou que o comboio se atrasasse, de forma a permitir-me prolongar a leitura.
    A ação decorre entre Madrid, Marrocos e Lisboa, no período que antecede a guerra civil de Espanha e a II Guerra Mundial. 
    Sira, a protagonista, é uma jovem quando a conhecemos, aprendiz de costureira, filha de mãe solteira e noiva de um homem cuja única ambição é conseguir um posto de funcionário público para ambos, a quem uma máquina de escrever arruinou o destino (frase com que se inicia o livro).
    Mais por acaso que por convição ou vontade, é recrutada pelos serviços secretos britânicos e passa a viver uma vida dupla, entre ateliers e senhoras da alta sociedade, sobretudo inglesas e alemãs, criando um passado e simulando vivências que não tinha, primeiro em Marrocos, Tetuán, e depois em Madrid.
    Ao longo do livro, Sira vai-se cruzando e conhecendo pessoas reais, algumas mais conhecidas, como o cunhado de Franco, Ramon Serrano Suñer, outras menos, mas que de acordo com a nota da autora existiram de facto, como os fascinantes Rosalinda Powell Fox e Juan Luis Beigbeder.
   Gostei particularmente do Epílogo em que nos é dada conta do destino das personagens verdadeiras e abertas múltiplas possibilidades quanto ao desfecho das personagens ficcionadas (Quanto a Marcus e a mim, talvez os nosso caminhos se separassem quando a guerra acabou. Pode ser que depois do amor alvoroçado que vivemos durante os quatro anos restantes, ele voltasse para o seu país e eu acabasse os meus dias em Madrid, convertida numa altiva modista à frente de um atelier mítico, acessível apenas a uma clientela que eu escolheria caprichosamente segundo o humor do dia. Ou então cansei-me de trabalhar e aceitei a proposta de casamento de um cirurgião....)
    A par da história e do desenho das personagens, é de realçar a perfeição da escrita, a escolha das palavras e das imagens (E para que tudo corresse como ele tinha previsto, fiz dos meus medos uma bola compacta, engoli-a e arvorei a expressão mais fascinante da minha falsa personalidade,)

 
   

Sem comentários:

Enviar um comentário