LEIO LOGO...

.
.
.
LEIO, LOGO...

A nova rubrica quinzenal da nossa página afiliada, Ponto&Vírgula, começou com o testemunho na nossa co-autora Ana Vargas.

Acompanhe a partir daqui os textos publicados:

#1 Leio, logo... crio laços, por Ana Vargas (24/04/2018)
#2 Leio, logo... empilho, por Sofia Guedes Vaz (08/05/2018)
#3 Leio, logo… sonho,
por Alexandre Gusmão (22/05/2018)

***

Queremos que participe nesta rubrica! O que é, para si, ler? Qual é a sua visão do mundo literário, do lado do leitor? Entre em contacto connosco, por mensagem privada na página Ponto&Vírgula e partilhe a sua opinião.



sábado, 23 de abril de 2016

O labirinto da felicidade, Álex Rovira e Francesc Miralles (Pergaminho)

    Este livrinho que se lê em menos de uma tarde foi-me emprestado por uma amiga para quem foi muito importante. Conheço bem a sensação de querer espalhar pelo mundo quando lemos um livro que nos marca e, por isso, fico feliz quando o fazem comigo. Claro que corremos sempre o risco de o livro não ter o mesmo efeito nas pessoas com quem decidimos partilhá-lo - e eu não gosto particularmente dessa sensação. Mas a verdade é que cada um de nós tem os seus estilos mais próximos e queridos, e este livro não entra exatamente nos meus gostos.
    Como está escrito na capa, trata-se de uma fábula sobre o sentido da vida, mais concretamente, sobre o percurso que temos de fazer para encontrarmos o nosso sentido da vida. 

     Epílogo
   Esta é a história de alguém que tinha perdido tudo e se encontrou a si mesma - o seu maior tesouro - no centro do Labirinto.

    É um livro que se lê bem, é simples e acessível, e reúne alguns ensinamentos que podem ajudar em determinadas fases da vida.
    Ainda assim, aquilo que mas gostei nele foi a coletânea de frases de famosos sobre a felicidade e a vida, como William Faulkner, Albert Camus, Martin Luther King, John Lennon, Pearl S. Buck, Sören Kierkegaard, Antoine de Saint-Exupéry, etc.

Sem comentários:

Enviar um comentário