Prémio Nobel da Literatura 2017

Prémio Nobel da Literatura 2017

Kazuo Ishiguro

autor, entre outros, de Os despojos do dia e Nunca me deixes


segunda-feira, 12 de julho de 2010

O Véu Pintado, Somerset Maugham

    Como me disseram noutro dia, eu tenho prazer em ler um livro bem escrito. É o caso. O livro está extremamente bem escrito, a história é envolvente. Ultrapassa o livro, cuja frase de difusão é linda ("Por vezes, a maior viagem é a distância entre duas pessoas") mas foge em muito ao cerne do romance. Para mim, é uma lição. Um modo de apreender que todos os nossos actos trazem consequências que não podemos adivinhar e que sempre nos poderão surpreender, e mostra como as vicissitudes da vida nos tornam naquilo que somos. É um livro apaixonante.

    Começa com a frase:
    "...esse véu pintado a que os que vivem chamam Vida."

    Para mim, a passagem que se segue ilustra o título do livro:
    "Estas cenas plenas de cor e harmonia, inesperada excelência e profunda estranheza, eram como um pano de arrás diante do qual, em formas misteriosas e sombrias, brincavam os fantasmas criados pela fantasia de Kitty. (...) A Kitty parecia-lhe incrível (...) que ela e Walter tivessem participado nesta dança tão estranha e irreal e, ainda por cima, desempenhando papéis de relevo. (...) Seria uma brincadeira? Talvez tudo não passasse de um sonho do qual ela acordaria de repente com um suspiro de alívio. Tudo parecia ter acontecido há muito tempo e num lugar muito distante. Era curioso como os participantes desta pantomima se delineavam sombrios contra o pano de fundo ensolarado da vida real. E agora parecia-lhe uma história que ela andasse a ler; era algo surpreendente que parecesse preocupá-la tão pouco."

1 comentário:

  1. ana vargasjulho 13, 2010

    Vi o filme e li o livro. Por esta ordem e não sei dizer de qual gostei mais. Raramente isto acontece.A maioria das vezes a adaptação de um livro ao cinema desmerece-o. Os diálogos não compensam os monólogos, as personagens desapontam-nos e as paisagens ficam aquém do que imaginámos quando lemos. Se se limita a seguir a história tal como escrita, nada acrescenta, se diverge da história, em regra, desilude. Neste caso, o livro e o filme são ambos deslumbrantes.A história é envolvente, as personagens arrastam-nos e comovem-nos. A relação entre ambos - com dois fins - comove-nos. (http://www.youtube.com/watch?v=a4OSRC_IKSE)

    ResponderEliminar